quarta-feira, 15 de julho de 2009

Vida Mundana




Os seus olhos encontraram-se pela centésima vez nessa noite. Sorriram e desviaram o olhar. Estavam em mais uma festa do sub-mundo Lisboeta, com um qualquer tema obscuro e desinteressante. Aproximaram-se e sem uma palavra afastaram-se em direcção à porta. Chega de jogos por uma noite. Ela podia ter quem quisesse, tal como ele, mas já haviam tomado a sua decisão. Quando chegaram à rua, em busca de um táxi, ela teve um arrepio de frio. Ele colocou os seus braços em volta da sua cintura e ela colou-se a ele. "Na tua casa ou na minha?", sussurou-lhe ao ouvido. "Na tua", respondeu-lhe ela.

Deram ao motorista um espectaculo de desejo e provocação que tão cedo não esqueceria e ao chegar a porta do apartamento as mãos dele tremiam de frustração. Queria-a agora! Merda para as chaves! Merda para a fechadura! Ela beijava-lhe o pescoço, gemendo-lhe ao ouvido "despacha-te... Quero-te...".

Mal haviam entrado e ele pegou-lhe ao colo, atirando-a para cima do pequeno movel do hall, nem havia fechado a porta e já as suas roupas estavam espalhadas pelo chão, algumas em farrapos.

Entregaram-se um ao outro uma e outra vez, até as forças os abandonarem e colapsarem exaustos no chão do quarto.

Olharam-se e sorriram. Perfeito...

Com esforço ele arrastou-se para a cama, ela levantou-se e começou a vestir-se. "Sabes, podias ficar... Só hoje... Não tens sempre que sair apressada...".

Ela olhou-o, hesitante. Era uma predadora sem escrupulos, tal como ele. Não era a primeira vez que estavam juntos. Não tinha o habito de se repetir, mas algo naquele homem a prendia. Era diferente...

Largou a camisola que tentara vestir e deitou-se ao seu lado. Ele era lindo... O modo como a olhava, era mais que desejo...Beijaram-se. E pela primeira vez, fizeram amor, adormecendo nos braços um do outro.


Ela acordou e olhou para o lado. Ali estava o inutil do seu marido. Reprimiu um vómito quando viu aquele monte de pelo disforme roncar. Os anos tinham-lhe caido mal... Olhou o relógio. Eram cinco da manhã. Considerou as suas hipóteses e levantou-se, não suportando a ideia de tentar adormecer de novo na mesma cama que ele.

Dirigiu-se à casa de banho e olhou-se ao espelho... Meu Deus, onde estava aquela mulher sensual, de peitos fartos, cintura de vespa e olhar sensual?!

Ouvir um grito vindo do outro quarto, um dos miudos devia de estar a ter pesadelos. Abriu a torneira e preparou-se para um banho de emersão.

Enquanto se despia não se olhou no espelho. Tinha medo do que iria ver: uma mulher de meia idade, mãe de uma pequena equipa de futebol, doméstica, frigida e flácida.

Como a vida muda... Descontraiu um pouco. Sorriu lembrando os velhos tempos de faculdade, as noites escaldantes com desconhecidos, quase se conseguindo lembrar da sensação de ter um orgasmo. Velhos tempos...

A princípio sentiu dor, quando a lâmina dilacerava as veias dos seus pulsos, mas aos poucos passou. A água quente confortava-a e estava a ficar sonolenta. Em breve todos estariam acordados a grunhir pelo pequeno almoço e roupa lavada. Que se fodam todos!!! Este era o seu momento. Teriam a surpresa da vida deles...


Acordou sobressaltada! Onde estava??? Olhou em volta. Suor escorria-lhe da testa. Ali estava ele deitado ao seu lado, lindo e jovem. Havia sido um pesadelo.

Não se moveu por um momento, comtemplando o tecto. Suavemente,deslizou para fora da cama e vestiu-se silenciosamente. Antes de sair olhou-o uma última vez. Aproximou-se e beijou-o ao de leve nos lábios, com carinho e delicadeza. Não o queria acordar...

"Desculpa meu amor, mas não vales a pena..."

Saiu, para não mais voltar.

8 comentários:

katitah*=) disse...

pois tens razao... é verdade... mas tá dificil sair da dita prisão.. nem tudo é fácil... há regras... mas acredito k tudo passa.. eu nao sou como essas pessoas que so fingem, sou mais k isso, enfrento a realidade, e rio ou sorrio por fazer o que gosto, e nao para fingir.. nao faz mal lindah.. tbm tenho estado ausente.. bjs ffx... obrigado

Äмbзr Gïrℓ ⅞ disse...

achei lindo o texto, sensual a personagem e tocante o desfecho. (alivado?)

Blog Suicide Virgin

Anjo vermelho disse...

brutal?

aia me arrepio no minimo vou ficar horas pensando noq escreveu..

que talento hem ^^

beijos no coração!

Poetíssima disse...

'Olharam-se e sorriram. Perfeito...'

Diria mais que perfeito.

A. Reiffer disse...

Ótimo! Intenso e cruel!

sandro disse...

Medo. Muito medo. Brrrr...

A Magia da Noite disse...

A vida é mesmo assim, Às vezes mundana, outras tantas igrata, mas sempre cheia de prazeres por descobrir.

katitah*=) disse...

é disso que tenho medo.. que nao deem valor... que puramente levem aquilo na brinadeira e nao como uma oprtunidade para juntar a turma... temo k tenha sido em vao agora nas ferias... que se esqueçam... e que jamais se lembrem quem o fez....
temo ser esquecida... temo saber que tudo ja era, e que a minha tentativa tenha sido posta no lixo, e que nao tenha valor... sera que me iram fazer isso??? duvido k se lembrem de mim, pois o meu nome nao consta no video, nao saberao k fui eu... obrigado pelo teu apoio... bem k preciso de mt apoio mesmo...